Blog

Diabetes: Silenciosa e perigosa para a saúde dos olhos

Ela chega de maneira silenciosa e, com o passar do tempo, os danos são cada vez mais sérios e irreversíveis. A Retinopatia diabética é um risco aos olhos de quem tem diabetes. A doença é causada quando o excesso de glicose no sangue danifica os vasos sanguíneos de dentro da retina. Ela pode surgir sem que o paciente perceba a diferença na visão. A demora em iniciar o tratamento pode levar à cegueira.

 

“A retinopatia diabética, que é a alteração na retina causada pela diabetes, pode levar a danos irreversíveis, sendo uma das principais causas de cegueira no mundo”, ressalta o Dr. Vasco Bravo Filho, oftalmologista. Na fase inicial da doença, ocorrem pequenas áreas de dilatação de vasos sanguíneos da retina. A tendência é que mais áreas sejam afetadas ao longo do tempo até que várias regiões parem de receber sangue, ocasionando em uma falta de oxigênio.

 

O organismo passa a formar novos vasos para nutrição. A doença pode ainda evoluir para a forma proliferativa, quando os vasos sanguíneos crescem de maneira defeituosa. Por terem paredes frágeis, eles podem se romper e espalhar sangue pela cavidade vítrea, podendo resultar em perda de visão. “O problema é que, quando o paciente tem alguma queixa na visão, às vezes, já é tarde demais para realizar qualquer tipo de tratamento da retinopatia diabética. Porém, nos últimos anos, diversos avanços têm nos auxiliado no tratamento dessa doença como o surgimento de aparelhos mais precisos para cirurgias de retina, lasers mais modernos e medicações que podem ser aplicadas nos olhos para regressão do quadro”, explica o médico.

 

É fundamental que o controle da diabetes seja feito de modo adequado.  Apenas o tratamento da diabetes pode ser suficiente, em alguns casos, para conter as alterações oculares decorrentes da doença. Quando há necessidade de alguma intervenção, seja por cirurgia, laser ou medicações intravítreas, o controle é fundamental porque, se o tratamento oftalmológico for realizado e tiver sucesso, mas a taxa de glicose permanecer fora de controle, tudo pode ir por água abaixo”, explica Dr. Vasco Bravo Filho.

 

De acordo com a Academia Americana de Oftalmologia, pessoas com diabetes tipo 1 devem fazer exame anual cinco anos após início da doença. Já aqueles com diabetes tipo 2, devem ser examinados assim que forem diagnosticados e ao menos uma vez ao ano. “Porém em algumas situações e, dependendo da gravidade do caso, esta frequência deve ser maior e vai ser indicada pelo oftalmologista”, afirma.

Acompanhe o Hope no Instagram