Areas - Oftalmologia - Hope

Especialidades

Especialidades

Atualmente, o campo de atuação oftalmológica do HOPE possui uma variedade de opções, atendendo a todos os públicos. Leia abaixo e saiba mais sobre as principais especialidades em que nós estamos presentes:

  • Catarata

    A catarata é considerada a maior causa de cegueira reversível do mundo. Sua incidência em indivíduos com idades entre 65 e 74 anos é de aproximadamente 47,1% e nos indivíduos acima de 75 é de 73,3%.

    As cataratas são divididas em dois tipos: a) adquiridas - relacionada à idade ou senil, traumáticas e secundárias (induzidas por medicamentos ou inflamação); b) congênitas - quando o paciente já nasce com a catarata devido a algum evento que se transcorreu durante desenvolvimento intrauterino.

    A catarata consiste na opacificação do cristalino, lente natural do olho, provocando uma diminuição da visão que varia de leve até causar cegueira. O sintoma inicial da catarata é o embaçamento da visão. O portador de catarata pode também enxergar a presença de halos (círculos) ao redor das luzes à noite e sombras na visão. Em casos mais avançados, uma mancha branca pode ser percebida no centro da pupila.
  • Córnea

  • Glaucoma

    O glaucoma é uma doença multifatorial, ou seja: é provocada por uma combinação de múltiplos fatores e mutações em genes múltiplos. Entretanto, o principal fator de risco para seu surgimento é o aumento da pressão intra-ocular (PIO). Com a PIO elevada, ocorre a perda das células que formam o nervo óptico e, assim, surge a doença.

    O glaucoma ainda exige mais atenção daqueles que estão passando dos 40 anos de idade. Isso porque a incidência da doença tende a dobrar a cada década e a prevalência nessa faixa etária é de 0,6% - esse valor chega a quase 7,5% em pessoas acima dos 80 anos.

    Para os pacientes hipertensos oculares ou que foram diagnosticados com o glaucoma em consulta, o HOPE realiza uma cirurgia minimamente invasiva e segura com o iStent (Trabecular Micro-Bypass Stent System). Esse dispositivo, que já é considerado o menor usado em cirurgias no mundo, é uma novidade utilizada desde julho de 2017 e pode ser introduzido isoladamente ou no mesmo tempo de uma cirurgia de catarata. Seu funcionamento consiste em comunicar a parte anterior do olho, onde há um líquido chamado humor aquoso, com um canal de drenagem cujo nome é canal de schlemnn. Entre essas estruturas, está a malha trabecular - no paciente com glaucoma, não funciona tão bem. O iStent ultrapassa a barreira que está dificultando a saída do humor aquoso do olho. Assim, há uma redução da PIO e, consequentemente, da chance de progressão da doença.
  • Lentes de Contato

    Elas representam um verdadeiro símbolo de liberdade para quem precisa usar óculos de grau.
    As lentes de contato são fundamentais no tratamento de várias doenças da córnea que causam astigmatismo irregular, como o certocone. Pelo contato próximo ao olho, as lentes podems modificar o formato da região anterior da córnea permitindo uma melhor resolução do astigmatismo com melhoria da qualidade da visão.

    Quando se decide iniciar o uso de lentes, é essencial consultar um médico oftalmologista para identificar qual tipo de lente mais se adequada para você. Ele vai ensinar a fazer a higienização correta para evitar problemas futuros nos olhos. Além disso, um oftalmologista especialista vai informar a orientação correta quanto ao tempo de uso diário e do descarte de cada lente. A revisão oftalmológica para quem opta por utilizar esse instrumento deve ser periódica, há cada 6 meses, para controle da adaptação e garantir o conforto e a saúde ocular.
  • Neuroftalmologia

  • Oncologia Ocular

  • Plástica Ocular

    A plástica ocular aparece em um cenário no qual as pessoas estão cada vez mais buscando aliar o bem-estar estético ao cuidado com a saúde.
    O tratamento é bastante associado às plásticas de rejuvenescimento, principalmente quando são feitas as blefaroplastias – cirurgias que eliminam bolsas de gordura, rugas e flacidez em torno dos olhos, a aplicação de toxina botulínica (botóx) e o preenchimento. Essa intervenção cirúrgica corrige o posicionamento das pálpebras, traumatismos, casos de tumores, adaptação de próteses, reconstrução das vias lacrimais e diversas alterações anatômicas.

    São três as áreas em que se faz cirurgias plásticas oculares: as pálpebras, a via lacrimal e a órbita - estrutura óssea na face em que os olhos ficam alojados. As pálpebras tem função primordial no sistema visual, desempenhando um papel importante na expressão facial e protegendo os olhos. Por isso, é comum ver pacientes que sofreram traumas na face que resultaram em cortes nas pálpebras, necessitando de intervenções cirúrgicas. Com o passar do tempo, as pálpebras perdem algumas de suas propriedades, como pressão e tônus, enquanto que a pele ao redor dos olhos fica enrugada e perde a sua firmeza.

  • Refrativa

  • Retina

  • Uveíte

    Olhos vermelhos e dores oculares são algumas manifestações comuns da conjuntivite. Entretanto, diante desses sintomas, é recomendado que o paciente procure um oftalmologista para fazer um exame mais aprofundado. Afinal, existe a possibilidade de que a pessoa esteja desenvolvendo algum tipo de uveíte, um conjunto de doenças nos olhos decorrente de inflamação na úvea, estrutura formada pela íris, corpo ciliar e coróide.

    É preciso atenção: se não for diagnosticado precocemente e tratado de maneira correta, o paciente pode ter também outras partes dos olhos atingidas e desenvolver sequelas graves, até mesmo cegueira.

    A existência dessas doenças requer um tratamento mais profundo, que vai além do uso de medicamentos locais (colírios).

    É muito importante que o paciente seja acompanhado por um oftalmologista e pelo médico especializado na doença base. O uso de medicamentos específicos e o acompanhamento de exames são procedimentos que precisam de atenção.